Nessa alta temporada fique atento a segurança do seu condomínio!

É assustador saber que 90% das invasões em condomínios acontecem pela porta da frente!

  • Final de ano e alta temporada chegando.
  • Alto fluxo de pessoas no condomínio.
  • Aumento de entregas de encomendas e presentes.
  • Muitas festas e eventos.
  • Situações que deixam o condomínio em risco e são oportunidades para assaltantes.

Como as invasões acontecem, e como prevenir e evitar?

Primeiro é importante lembrar que, onde moramos é também onde abrigamos e acolhemos as pessoas mais importantes em nossa vida, e que mais amamos! E muitas vezes deixamos passar despercebidos, situações do dia a dia que nos colocam em risco!

Além das pessoas que amamos, no condomínio também está grande parte do nosso patrimônio, que na maioria das vezes é tudo que temos. Afinal, desde a garagem até a porta do apartamento, é nosso quintal , nossa garagem, nossos carros, bens, benefícios das áreas comuns, etc. Que conquistamos com muito trabalho, e contribuímos para manter!

Somando ainda todos os bens dentro de nossos apartamentos. Coisas tão importantes, documentos, mobílias, eletrônicos, joias, reservas e etc.

No caso o que são alvos de ladrões e pessoas mal intencionadas, que passam informações a criminosos que, muitas vezes, entram em nosso condomínio com a maior facilidade!

Quando moramos em uma casa, sabemos exatamente quem em nosso portão quando e porque.

_________________________________________________________________________________________________________________

Talvez você tenha interesse:

_________________________________________________________________________________________________________________

Por que no condomínio essa tarefa parece ser tão difícil na Alta Temporada?

Como parecemos impotentes quando nos deparamos com pessoas desconhecidas dentro do condomínio e não temos como obter informações de registros e controle!

  • Como as invasões acontecem:
  • Entradas na “carona” de um morador. A pé ou com veículo, esta é a forma preferida pelos ladrões.
  • Como prestador de serviço. Autorizados, muitas vezes, apenas pela identificação de um uniforme.
  • Dispositivos facilmente copiáveis. Tags e controle de baixa qualidade, que são facilmente copiados. Parece uma facilidade quando precisamos de um dispositivo a mais, mas é uma grande falha quando se trata da segurança do condomínio.
  • Dispositivos com pessoas não moradores. Quantas pessoas já passaram pelo condomínio, e tem um dispositivo ainda cadastrado e funcionando. Podendo ser furtados ou copiados e usados para acessar o condomínio.
  • Como convidado a uma festa ou evento. Em muitos casos, basta dizer que veio para a festa que está acontecendo, que a entrada é liberada. Sem uma verificação prévia e autorização expressa do morador.
  • Como visitantes inesperado. Quando é liberada a entrada sem uma identificação correta, apenas com as informações de um morador, sem uma consulta e autorização validada.
  • Entregas de encomendas e presentes. Afinal ninguém quer ser culpado de a entrega ou o presente do morador não ser recebida, e é liberada a entrada sem uma verificação correta.

Entre estas, ainda contam muitas outras maneiras, como: um comprador querendo visitar um apartamento á venda, alegando ser um novo morador, uma entrada para mudança, um amigo ou parente surpresa, oficial de justiça, agente de saúde, cuidados, etc.

Em uma casa você sabe exatamente quem está dentro do seu portão não é mesmo?

Veja algumas formas de evitar invasões, além de um protocolo de acesso bem aplicado.

  • Somente moradores autorizam entradas. Nenhuma entrada deve ser autorizada diretamente pela portaria, zelador, ou outro morador que não seja o responsável pelo não morador que deseja entrar no condomínio. Salvo quando for um prestador de serviço contratado diretamente pelo condomínio. Podendo ser autorizado pelo síndico ou zelador. E tudo com registros das chamadas e autorizações expressas.
  • Identificação imediata de “caronas”. Quando indevidamente acontecer uma entrada na carona de um morador, seja á pé ou com veículo, é necessário um protocolo de identificação imediata. E na confirmação da invasão, ter uma notificação rápida e, se necessário, a comunicação ás autoridades de segurança pública.
  • TAGs e controles de alta qualidade. É necessário um sistema de cadastro atualizado, com sistema e dispositivos resistente á fraudes, transparência e gestão de quem está cadastrado, e recursos de ação rápida de bloqueio e restrição quando houver suspeita ou confirmação de clonagens.
  • Acesso ás câmeras em tempo real. A visualização das câmeras das áreas comuns de acesso facilita a verificação de movimentação suspeita, e a contribuição na comunicação para a segurança coletiva. Inclusive na segurança própria, ao possibilitar verificar previamente os acessos ao entrar ou sair, ou em aberturas feitas remotamente.
  • Funcionários com dias e horários definidos. Os funcionários devem ter os acessos permitidos apenas nos dias e horários pré-definidos. Acessos extras devem ser expressamente autorizados pelo morador ou responsável.
  • Registro de acessos de prestadores de serviços. Todo prestador de serviço deve ser registrado e autorizado pelo morador ou responsável, com observação do período de permanência e atividade a ser realizada.
  • Entregas automatizadas ou com autorização. As entregas automatizadas, com lockers inteligentes, aumentam a segurança e ainda trazem comodidade para o morador podendo retirar no momento que for mais adequado
  • Convites com registros, data e horário definidos. Todo convidado esperado, não necessita de autorizações de terceiros, que podem ocorrer erroneamente. Devem ter sua chave de acesso única com as datas e horários ao qual foi permitido, e constar seus registros de cadastro, entrada e saída. Trazendo mais transparência e segurança tanto para o condomínio quando para o visitante.
  • Relatório em tempo real, histórico com imagens. Todas essas ações listadas acima, assim como o registro das ligações e imagens , devem estar disponíveis para consulta e verificação em relatórios, como também timeline de acessos, notificação, situação cadastral atualizada e figedigna. Para que passam ser tomadas ações corretivas, preventivas e de melhorias na segurança do condomínio.

Além dessas ações, ainda existem uma série de medidas que podem ser adotadas. E que você pode obter orientação acessando uma empresa especializada em condomínios.

E seu condomínio, te entrega essas informações? E um controle de acesso real?

Como é no seu condomínio? Gostaria de mais segurança?

Conte nos comentários e compartilhe para ajudar mais pessoas.

Marcos Teles | Especialista em soluções de tecnologia para condomínios. 5 anos como Head de produtos e treinamento na Porter Group. Graduação em Engenharia Elétrica. MBA em gestão, empreendedorismo e desenvolvimento de negócios.