fbpx

Subscribe Now

* You will receive the latest news and updates on your favorite celebrities!

Trending News

Artigo

CRIANÇA EM CONDOMÍNIO É ALEGRIA E AO MESMO TEMPO PODE CAUSAR DOR DE CABEÇA
Imagem de divulgação
Vida em Condomínio

CRIANÇA EM CONDOMÍNIO É ALEGRIA E AO MESMO TEMPO PODE CAUSAR DOR DE CABEÇA 

Problemas com crianças em condomínios não é nenhuma novidade, mas é algo
que, com boa vontade da administração e a colaboração de cada condômino,
o problema pode se transformar numa agradável experiência para os
pequenos.


Toda criança gosta de pular, brincar e se divertir. É normal e até mesmo sinal
de saúde. Uma roda de brincadeiras é bastante comum em condomínios onde
vivem muitas crianças. Toda hora é hora, e todo lugar é lugar para se sujar,
gritar e correr.


O síndico deve estar atento, é seu dever avisar e notificar os pais ou
responsáveis pela criança sobre o ocorrido. Se houver transtornos impossíveis
de serem solucionados por meio do diálogo e do bom senso e o síndico não
tomar as providências cabíveis, o condômino que se sentir lesado pode
procurar os seus direitos na justiça.


É claro que, onde diversas pessoas compartilham o mesmo espaço, pode
acabar gerando conflitos. Por isso, respeitar regras, impor limites, também
vale para os pequenos.

Sugestões para uma melhor convivência e diversão das crianças sm
incomodar a vizinhança:

  • Defina horários e locais onde as crianças possam brincar sem que atrapalhem
    os demais moradores. Se não existe no Regulamento Interno deve ser
    estabelecido, mediante aprovação de Assembleia para esta finalidade.
  • Uma forma legal e divertida de conscientizar as crianças sobre seus direitos
    e deveres enquanto moradores é a eleição de um síndico mirim. Reserve um
    espaço na sua agenda e convoque uma eleição com esse fim. A criança eleita
    terá contato com o trabalho diário do síndico, e com certeza vai se sentir útil
    e inserida na gestão.
    -Deixe as áreas de lazer como playgrounds e salão de jogos mais atrativos.
    Isso ajuda a manter as crianças em um único espaço e a controlar as suas
    atividades e horários.

Toda regra tem sua exceção!

A Lei 8.069/1.990 (Estatuto da Criança e do Adolescente) garante as crianças
e adolescentes, todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana,
assegurando todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o
desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de
liberdade e de dignidade; diretos estes também previstos na Constituição
Federal. Não se pode calar o choro de uma criança, nem proibir de forma
brusca que outra corra dentro de casa, pois seriam atos desumanos.

O bom senso deve prevalecer, mas existem situações que são impossíveis de
se evitar, tais como, choros de bebês e crianças brincando.

Orientação

Acima de tudo é importante que os pais ou responsáveis sempre orientem seus
filhos a tomarem cuidado com as brincadeiras, a fim de não atrapalhar os
condôminos ou colocar em risco o patrimônio dos vizinhos ou do condomínio.
Explique ao seu filho a importância de respeitar os funcionários e demais
condôminos, de não esquecer seus brinquedos em áreas comuns e brincar
sempre longe dos carros e de demais itens mais frágeis, como plantas, janelas
e portas de vidro

As crianças precisam ter um limite de horário de “barulho e bagunça” pré-
determinados para evitar incômodos com os vizinhos.

O limite horário de fazer barulho deve seguir a lei do silêncio, a partir das
22hs, nada de brincadeiras barulhentas.

Mauren Gonçalves

Presidente da AssosíndicosRS

Confira também: Portaria Remota – Da teoria às experiências práticas dos condomínios que souberam implantar

Veja mais: GESTÃO DE CRISE CONDOMINIAL

Clique aqui e assista as Entrevistas: Condomeeting TV

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *