A primeira impressão de um condomínio é o hall de entrada, logo, este local merece atenção especial no momento da decoração.

De modo geral não há uma regra para a composição deste espaço, por outro lado, podemos levar em conta algumas dicas.

Reformar o hall de entrada pode elevar preço do imóvel

O hall de entrada trata-se do cômodo de boas-vindas, dessa forma, deve ser decorado de forma receptiva e aconchegante.

Ainda, o ambiente precisa mostrar um pouco de personalidade e refletir o conceito do condomínio em relação aos cuidados e conservação.

Segundo a arquiteta Mirian Rodrigues, também fundadora do Condomeeting, reformar o hall de entrada pode valorizar o condomínio. Um exemplo é o Edifício Paraná, de Balneário Camboriú (SC), que teve uma valorização de 35% nos apartamentos após reforma do hall de entrada.

“Papel de parede líquido é uma alternativa rápida e de custo baixo. O piso vinílico pode dar outra cara para o hall de entrada, e nem sempre precisa remover o piso anterior para colocar esse”, Mirian dá algumas dicas.

A arquiteta ainda cita a iluminação, que modernizou de um ano para cá. Agora, um feixe de LED ilumina um grande espaço, com mais economia.

“Lembre-se da visão a longo prazo. Ou seja, questões de infraestrutura que podem ser importantes no futuro. Por exemplo, deixar a parte elétrica encaminhada para implantação de uma portaria remota”, finaliza Mirian.

_____________________________________________________________________________________________________

Talvez você tenha interesse:

_____________________________________________________________________________________________________

Dicas para reformar o hall de entrada

Por ser um local por onde transitam muitas pessoas, o hall de entrada de um condomínio merece atenção especial no momento da decoração.

A arquiteta Juliana Laurindo dá cinco dicas para prestar atenção na hora da reforma:

  • 1. Na escolha ou troca do revestimento, cuidar com os pisos polidos, pois são perigosos para idosos, crianças e pessoas com problemas de locomoção. Uma ideia é colocar no hall de entrada o piso acetinado e nas áreas externas o antiderrapante.
  • 2. As melhores plantas para o hall de entrada são as que se adaptam ao local fechado, sem incidência de luz. Por exemplo, as zamioculcas e a espada-de-são-jorge.
  • 3. É importante ter uma boa iluminação, para que as pessoas transitem de maneira confortável, mas não precisa ser uma luz forte. Assim, dá para trabalhar com uma iluminação cenica de luz indireta (meia-luz), como a lâmpada Avant.
  • 4. Use objetos mais pontuais, sem poluir o ambiente, para que fique agradável a quem estiver passando. Quanto mais óbvio for o fluxo de passagem para o elevador, escadarias e saída de emergência, melhor.
  • 5. Use páines para esconder quadros de luz e outras coisas que não precisam neessariamente estarem expostas.

Aprovação das reformas no hall de entrada

Para reformar o hall de entrada, é necessário que se aprove em assembleia duas questões:

  • 1. Alteração de fachada – Precisa-se de 2/3 do total de condôminos aprovando a alteração para que ela seja válida. Apenas se aprovado o primeiro tópico pode-se seguir para apreciação do segundo.
  • 2. O padrão geral da obra – Avaliação do projeto, qualidade dos materiais a serem empregados e qualidade da execução. Em caso de adequação de qualquer parte do projeto executado sem prévia autorização, o síndico fica responsável pelos custos.

Entretanto, o síndico pode executar algumas reformas no hall de entrada sem precisar de aprovação ou votos. Por exemplo, quando envolve normas de acessibilidade ou segurança, como implantação de rampa e corrimão ou modernização do elevador.

Contrate um profissional para a reforma

Por fim, mas não menos importante, contratar um profissional é um dos passos cruciais para qualquer reforma.

Para a arquiteta Sheila Mattar, o profissional pode deixar o resultado surpreendente. “O arquiteto sabe o que é necessário para evitar entulhos, barulhos, poeiras e todo transtorno que uma obra civil gera”, explica.

A depender da situação, medidas simples, quando elaboradas por profissional adequado, podem ser ótimas soluções.

Por exemplo, elaboração de um novo layout e substituição de luminárias decorativas por técnicas.

Do mesmo modo, a substituição de objetos de decoração, introdução de vegetação natural ou artificial e alteração de cores e texturas no piso e parede.

Ainda mais, quando os recursos são poucos, apenas a substituição do tecido de poltronas já fazem grande diferença no ambiente.

Enfim, a decoração do local é importante para humanizar e dar personalidade ao espaço. Isso permite que os moradores se identifiquem com o condomínio.

E aí síndico, como está o seu hall de entrada?

Lanume Weiss | Redação Condomeeting