Você já ouviu falar em Estação de Tratamento de Esgoto (ETE)? Acredito que sim. Especialmente após a bandeira da escassez hídrica, aprendemos que os mananciais de água do mundo são finitos e que a falta de água muito afeta nossa vida. ETE em condomínios a nova onda para sustentabilidade.

As ETE’s podem ajudar muito. Mas você sabe como funciona uma? Existem hoje no mercado diferentes soluções quando se trata de tratamento de esgoto para condomínios. Porém, podemos destacar dois: sistemas biológicos e sistemas físico-químicos de tratamento. Não vou discutir qual o melhor, já que ambos funcionam e chegam ao fim ideal: limpeza da água e descarte correto do esgoto.

Tratamento biológico

O tratamento biológico usa bactérias para realizar a degradação da matéria orgânica. Esses processos criam artificialmente condições ambientais favoráveis ao crescimento de bactérias que promovem a degradação da matéria orgânica, transformando-a em compostos simples.

O tratamento físico-químico remove a carga de poluentes inorgânicos, matérias insolúveis, metais pesados ou ainda matéria orgânica não biodegradável. A concepção básica consiste em transformar as impurezas em flocos, para depois retirá-las mais facilmente.

As exigências legais variam conforme a região ou do corpo hídrico que recebe o efluente tratado, tornando o processo bastante complexo. Desse modo, buscar informações corretas é fundamental para economizar tempo e dinheiro. O custo hoje em dia parte de R$3.000,00, e o melhor é que a água pode ser utilizada desde limpeza até criação de peixes, dependendo do processo e da qualidade da água que sai.

ETE em condomínios a nova onda para sustentabilidade

Vale ressaltar que existem cuidados e tratamentos que devem ser levados em consideração para que o processo funcione. Em suma, o sistema gera resíduos que devem ser tratados de forma correta. Pode ser lodo ou flutuante, ambos exigem manutenção de filtros e reposição de ativos. 

Por fim, a escolha do local de instalação da ETE também é muito importante. Na verdade, se for iniciar uma obra, o ideal é que a escolha do espaço seja o passo inicial. Contudo, hoje em dia, as ETE’s são muito menores, embora, dependendo da vazão, possam ser grandes. Elas podem ocupar espaços de 6m de altura e 3m de diâmetro, mas claro, depende sempre do estudo prévio. Sem contar que podem ser enterradas, o que é o melhor dos mundos, já que deixa mais espaço livre no condomínio.

Marco Aurélio Souto | Especialista em Eficiência Energética