Primeiramente, inadimplência é o grande problema em condomínios. Hoje não vamos falar em como reduzi-la, mas como ter o melhor convívio com a inadimplência.

Dependendo do fluxo da inadimplência, ela pode mascarar uma má gestão ou prejudicar um bom gestor. Em tempos de aumento da inadimplência, ela afeta diretamente o pagamento das despesas ordinárias, levando em casos extremos à uma nova previsão orçamentária.

Por outro lado, em tempos de redução da inadimplência, o excesso de caixa no condomínio pode mascarar gastos acima da previsão aprovada pelos moradores.

Outro lado prejudicial da inadimplência é o superdimensionamento da previsão orçamentária, ocasionando taxas condominiais de 10 a 15% acima do necessário. Tal prática visa anteceder a falta de recursos financeiros pela inadimplência.

Como conviver com a inadimplência?

Então, o primeiro passo para ter melhor convívio com a inadimplência é criar um fundo específico de arrecadação. O valor arrecadado será um percentual da previsão ordinária e será depositado na mesma conta corrente da conta ordinária.

Desta forma, se houver aumento da inadimplência e um possível saldo negativo da conta ordinária, ele será compensado pelo saldo positivo do fundo de inadimplência.

Ainda por cima, a grande vantagem deste fundo é a elaboração de uma previsão orçamentária precisa. Por exemplo: numa previsão de gastos ordinários de R$10.000 permite-se gerar boletos de arrecadação do mesmo valor, pois a falta de pagamento de alguns moradores será compensada pelo fundo de inadimplência.

Logo, o segundo passo é um sistema de compensação na conta ordinária. Tal procedimento traz clareza dos gastos para os moradores, onde o saldo final mensal e acumulado do exercício fiscal, é o espelho fiel da gestão do síndico, sem a contaminação da inadimplência.

A princípio, esta etapa consiste em efetuar transferências no fechamento mensal, com o objetivo de disponibilizar ao síndico o valor de arrecadação ordinária aprovado em assembleia.

Além do mais, o processo consiste em transferir do (ou para) fundo de inadimplência, a diferença entre a soma dos créditos da conta ordinária, versus o valor mensal da previsão orçamentária. Compensado assim, uma arrecadação menor (ou maior) devido a inadimplência.

Desta forma, um possível saldo negativo na conta ordinária tem o único e exclusivo motivo: o síndico gastou mais que o aprovado. Assim, a prestação de contas mensal torna-se mais clara para os moradores, pois o saldo final irá refletir o real trabalho do síndico na gestão financeira dos gastos.

Retrato do Alexsander Sardelari, autor do artigo "Melhor convívio com a inadimplência"

Alexsander Sardelari – Síndico profissional Certificado

Saiba mais: Combate à dengue em condomínios

Obras e reformas nos condomínios na pandemia. Fique por dentro.

E mais: Por que as Normas Técnicas são tão importantes?

Importante: O Brasil abraçou a Certificação Síndico 5 Estrelas

Também: Como evitar a Covid-19 em condomínios

Confira também nossos vídeos no CondTV – Condomeeting