Muita gente tem a sensação de que morar em condomínio fechado é mais seguro do que em residências unifamiliares. Mas será que é mesmo? Quem atua no ramo condominial acaba sabendo das situações que ocorrem e nesse sentido, síndicos e condôminos devem estar atentos com falhas de segurança, muito comuns, que colocam todos em risco.

Pouca gente sabe que em torno de 90% dos casos de roubos e assaltos em condomínios ocorrem sem grandes dificuldades, por falha humana. É muito comum bandidos entrarem pela porta da frente! Mas como podemos deixar nossos condomínios mais seguros? Será que é só investir uma fortuna em equipamentos de última geração? Não, ao menos não só isso. Para melhorar a segurança é necessário mudar os hábitos das pessoas.

Não adianta ter um excelente equipamento de controle de acesso por exemplo, se o condômino deixar um estranho pegar  “carona” em sua entrada. É constrangedor, mas é necessário barrar o desconhecido, para que ele entre com seu próprio acesso ou se identifique por interfone para o morador abrir.

O síndico deve reforçar constantemente as orientações de segurança para os condôminos. Valem placas, circulares, reforços em reuniões, notificações para os mais desatentos, etc. Há algumas falhas de segurança muito comuns em todos os condomínios, que podem servir de base para alertas:

–  Não deixe que desconhecidos entrem;

– Espere o fechamento das portas e portões antes de se distanciar;

– Não repasse senhas ou acessos para visitantes;

 – Mantenha o condomínio informado sobre a troca de funcionários particulares da unidade, contratação de imobiliária ou corretor, sobre pessoas que residem no imóvel;

–  No uso do salão de festas, entregue a lista de convidados para o condomínio;

– Acompanhe prestadores de serviços do seu imóvel; etc.

Procedimentos de segurança nem sempre estão atrelados a conforto, normalmente é o contrário.  O ideal é criar uma cultura de segurança, com normas claras de conduta, envolvendo todos os residentes, inclusive colaboradores. Cabe ao condomínio exercer um controle rígido de todos que residem e podem acessar o condomínio.

Outra dica é não visar só a economia na hora de investir em segurança. Como no ditado “a oportunidade faz o ladrão”,  fato é que em caso de entradas forçadas, os ladrões vão onde é mais fácil.

Então vale a pena investir em:

– Fechaduras com eletroímã para portas

– Travas ou eletroímãs para portões

 – Câmeras com alta definição de imagem

– Cercas elétricas para muros vulneráveis

– E alarme de porta aberta são itens básicos de segurança, tem que ter!

 Atualmente existem soluções mais avançadas e eficientes para condomínios com custos mais acessíveis. Cabe analisar a melhor alternativa para cada condomínio e suas vulnerabilidades. Infelizmente a segurança pública é muito limitada, cabendo à iniciativa privada tomar providências para se assegurar.

Cristina Oliveira

Krieger Assessoria Contábil e Condominial