Em suma, neste artigo vamos trazer o panorama do lixo no Brasil, abordando a problemática e como podemos fazer para mudar essa realidade nos condomínios.

Panorama dos resíduos no Brasil

Desde já, nos últimos dez anos, a geração total de resíduos sólidos urbanos no Brasil cresceu 19%, subindo de 67 milhões de toneladas por ano, em 2010, para 79,6 milhões de toneladas por ano, em 2019.

De acordo com a Abrelpe, até 2050 a produção de lixo deverá crescer mais 50% e poderá alcançar 120 milhões de toneladas por ano. Imagine quanto lixo é gerado em todos os edifícios de um condomínio!

Ainda por cima, grande parte desses resíduos vão para aterros sanitários ou lixões a céu aberto e para as ruas da nossa cidade. A cidade de Florianópolis, gasta em média 80 milhões de reais por ano com coleta, encaminhamento e aterramento, cerca de 177 reais/pessoa/ano.

Assim, geramos 32% de materiais recicláveis e cerca de 52% de orgânicos, que poderiam ser reciclados ou compostados. Estaríamos deixando de descartar cerca de 85% dos resíduos para aterros. Estaríamos colaborando para a economia circular, gerando renda para os catadores de recicláveis e ainda contribuindo para o meio ambiente.

Por isso, é essencial a separação dos nossos resíduos.

A pandemia do Covid-19 e os resíduos

Definitivamente, o ano de 2020 ficou marcado em nossas vidas com a pandemia do Covid-19, um vírus que parou o planeta Terra e nos fez repensar as nossas vidas, nossas famílias, nosso trabalho, nossas casas e nosso meio ambiente em que vivemos.

Afinal, tivemos muitas perdas, mudanças de hábitos forçada, mas necessária como o isolamento social, uso de máscaras e melhora da nossa higiene pessoal. Um dos efeitos colaterais foi o aumento da produção de resíduos domésticos, hospitalares e consumo de plástico descartável.

Atualmente, só no Brasil, são mais de 11 milhões de toneladas de plástico, o que coloca o país como quarto maior produtor de lixo plástico no mundo. Mas também, foi o ano em que muitos perceberam a quantidade de resíduos que geravam em suas casas e começaram a pensar em novas formas de redução e destinação correta.

Resíduos nos condomínios, como podemos mudar essa realidade?

Diante do cenário que falamos no início, pergunto: “Você pode fazer algo para melhorar a situação dos resíduos na sua casa ou no seu condomínio? “Você pode mudar algum hábito dentro da sua casa ou no seu condomínio?”

De fato, mudar hábitos para alguns podem ser um pouco difícil, mas podemos começar repensando seus hábitos e seu modo de consumo, buscando mais conhecimento sobre o assunto, consumindo menos plásticos descartáveis ou mobilizando os moradores do seu condomínio para implantar a coleta seletiva no seu condomínio.

Por exemplo, muitos condomínios e prédios já possuem gestão de resíduos, mas há outros que não sabem nem por onde começar ou encontram dificuldades junto aos moradores em aderir ao programa de coleta seletiva.

Então, esses são problemas que devemos resolver juntos com a colaboração de todos. E, em parceria e conscientes do problema, juntos alcançar o básico da gestão de resíduos no seu condomínio. Faça sua parte, como diz Mahatma Gandhi “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Retrato da Kamila Barros, autora do artigo "Panorama do lixo"

Kamila Barros – Engenheira Ambiental

Saiba mais: Frequentemente, o síndico quer contratar um prestador de serviço, porém não sabe decidir qual a melhor opção: MEI ou CNPJ?

Horta comunitária em condomínio? Saiba como fazer.

E mais: O uso de drogas no condomínio é uma realidade em muitos locaisNessas ocasiões, o que o síndico deve fazer?

Acesse: Novas tendências nos condomínios durante a pandemia

Também: Como reduzir os custos da limpeza no condomínio?

Confira também nossos vídeos no CondTV – Condomeeting