Muitas pessoas confundem Seguro Condomínio e Seguro Residencial. As dúvidas surgem, porque eles dizem respeito a objetos próximos. Mas, na verdade, cada um protege um bem específico.
De acordo com o artigo 1346 do Código Civil Brasileiro, o seguro condomínio é obrigatório para
condomínios verticais ou horizontais. Isso vale tanto para os residenciais, como os comerciais, mistos, shoppings, flats, apart-hotéis, entre outros. Esse tipo de seguro tem como objetivo proteger
o condomínio e suas partes comuns contra riscos parciais e totais de possíveis incêndios, raios ou explosões. Vale destacar que a contratação desse tipo de seguro é responsabilidade do síndico.

A contratação do seguro para condomínios horizontais e verticais são diferentes. Nos condomínios horizontais, o seguro engloba áreas comuns a todos os moradores, como playground, portaria, salão de festas, academias, etc.

Nos condomínios verticais, além das áreas comuns, cobre também a proteção dos apartamentos. Lembrando que a cobertura do apartamento é válida somente quando o dano ocorrido foi ocasiona
externamente. Ou seja, que teve um vidro quebrado devido a algo externo que veio a quebrar.

Ao contrário, se o vidro quebrou por culpa do morador ou algum visitante, o seguro condomínio não cobre o dano, neste caso o seguro residencial seria acionado para tal reparo.

E se o incêndio atingir uma unidade?

Caso ocorra um incêndio e venha a atingir uma unidade do condomínio, o seguro será acionado. Daí será reposto e reconstruído somente a parte estrutural do apartamento. Bens e melhorias
internas não tem cobertura no seguro condomínio, somente no seguro residencial.

Por isto a importância de manter uma apólice de seguro residencial, as benfeitorias feitas no seu imóvel estarão seguradas bem como seus eletrodomésticos, eletroeletrônicos, pagamento de aluguel de um imóvel para residir enquanto ocorre a reconstrução do seu imóvel. Em algumas apólices é possível incluir coberturas diferenciadas como roubo de jóias, celulares e bicicletas.

A apólice é única e individual, cada cliente é diferente, por isto a importância do corretor
de seguros e seguradora idônea, que entenda necessidade de cada cliente e monte a apólice no perfil correto.

Não confunda os tipos de seguros

O seguro condomínio com adicionais para condôminos pode ser uma boa opção, mas o único que garante a cobertura total dos seus bens e assistência em tempo integral é o seguro residencial. Em geral, a despesa anual do seguro residencial não ultrapassa 0,2% do valor do imóvel.

Por fim, é importante não confundir o seguro residencial seja do apartamento ou casa, com o seguro de condomínio. No Brasil, por exigência legal, é obrigatório que edifícios possuam seguro de condomínio, que ofereça, no mínimo, proteção contra incêndio ou destruição, parcial ou total. Já no seguro residencial não há obrigatoriedade. Segundo o Diretor Geral da Bradesco Seguros Auto/ RE, Ney Ferraz Dias, “A maior aceitação do seguro residencial está relacionada a conscientização das pessoas, sobre a necessidade de garantir proteção a um dos patrimônios mais importantes que alguém pode conquistar em vida, que é a residência e os seus bens. Esse tipo de seguro oferece diversos benefícios, adequados aos mais variados perfis de clientes”, conclui.

Autor:

Thiago Gehrke Seger
Consultor de Negócios.

Acompanhe nossas redes sociais:

@condomeeting

@revistasoaquicondominios

Ver mais matérias condominiais: Veja o que encontramos nesse condomínio e se surpreenda 

E mais:  https://condomeeting.com.br/seguranca-e-o-manual-do-morador/

Nossos vídeos no canal condtv.com.br – https://www.youtube.com/watch?v=TiSRB0fHLgo&t=129s

E mais: https://condomeeting.com.br/impacto-da-norma-inspecao-em-edificios/

Também: https://condomeeting.com.br/o-que-faz-um-concierge-condominial/

Nova: https://condomeeting.com.br/pandemia-e-a-inadimplencia-condominial/

Você sabia? https://condomeeting.com.br/destituicao-ou-inclusao/