Na última semana, síndicas de condomínios da região buscaram a redação do portal para demonstrar sua indignação com a displicência por parte de uma empresa terceirizada atuante em conjuntos residenciais. 

O Portal Condomeeting, como o maior especializado na cobertura condominial da região,  foi entender o que provocou a insatisfação por parte das gestoras e quais os apontamentos que fazem sobre a empresa conservadora de condomínios.  Síndicas alegam problemas com prestação de serviço de conservadora.

Antes de trazer os depoimentos, precisamos entender o papel das empresas terceirizadas dentro dos condomínios e também o que faz uma conservadora. A conservadora tem como objetivo a oferta de mão de obra especializada e o material de higiene para organização e limpeza do condomínio. Portanto, a empresa fica responsável pelo treinamento, pagamento, feedback e seleção de pessoal. 

_____________________________________________________________________________________________________

Talvez você tenha interesse:

_____________________________________________________________________________________________________

Cristiane Azevedo, síndica de um condomínio de Itajaí, Santa Catarina, conta que tem enfrentado problemas em sua gestão com o descaso de uma conservadora que atua na região. Segundo ela, a empresa não oferece o devido treinamento e preparação para os colaboradores que vão trabalhar no condomínio. 

Responsabilidades

“A insatisfação é justamente com a falta de treinamento, né? Eu penso que se você tem uma empresa terceirizada no seu condomínio, ela precisa ter um bom recrutamento, a empresa precisa ter um bom RH, bons supervisores em específico, um pra dar treinamento, ir nos postos, ensinar utilizar um produto, ensinar como se limpa um corredor, os equipamentos adequados para que não surjam problemas como que a gente tem tido aqui no condomínio”, pontua a síndica.

De acordo com ela, pessoas sem contato prévio com a função a ser desempenhada são ‘abandonados’ pela conservadora, sem ao menos serem instruídos e capacitados. Dessa forma, a síndica alega que prejuízos surgem no condomínio pela falta de preparo de alguns funcionários. 

“São pisos manchados, elevadores manchados, paredes manchadas. Isso por conta de profissionais que nunca trabalharam em condomínio. Então essas pessoas precisam vir treinadas. E o que ocorre nos condomínios, se tratando de limpeza e conservação, é que essas pessoas chegam nos condomínios e não tem o suporte por parte da empresa”

Empresa diz não ter ciência dos problemas enfrentados pela síndica

Consultamos a empresa envolvida nos casos e perguntamos se confere os fatos alegados pela sindica. De acordo com a conservadora, até então, eles não têm conhecimento dos problemas listados. A companhia ainda disse que iria apurar os fatos e se posicionar nas próximas semanas.

A síndica Juliana Davanzo, responsável por outro condomínio, também em Itajaí, desabafa sobre a atuação da terceirizada:

“Os síndicos são cobrados diretamente pela qualidade prestada por empresas terceirizadas e nem sempre conseguimos fazer com que as terceirizadas cumpram com qualidade e responsabilidade as tarefas para que foram contratadas. Precisamos lidar com a falta de profissionalismo e acabamos sobrecarregados”.

Para Juliana o problema é sistêmico. Assim como Cristiane, ela também reclama sobre a qualidade dos serviços prestados pela empresa. Segundo ela: “Quando o zelador precisa faltar, a terceirizada teria que mandar um outro zelador para cobrir o posto,   porém não é o que acontece, mandam qualquer funcionário e as vezes nem mandam”, exclama.

É papel do síndico fiscalizar

Em todo o Brasil, estima-se que mais de 35% dos condomínios tenham a atuação de uma conservadora. De acordo com as definições de uma conservadora, de forma geral, a empresa fica responsável pela contratação e instauração de funcionários nos condomínios em que atua. Desse modo, a função do treinamento e preparação é inteira da terceirizada. Ficando a cargo do síndico fiscalizar.

Contudo, além das particularidades que a conservadora deve ter conhecimento, é necessário também entender a pluralidade dos residenciais e como cada um deles funciona. 

“As empresas recebem do condomínio. A gente tem um custo alto com essas empresas. A maior fatia do condomínio é com a empresa terceirizada, principalmente em prédios que têm portaria humana. Então o síndico precisa treinar essas pessoas. Quem deveria ter que treinar essas pessoas é a empresa. Eu bato nessa tecla porque é o maior problema que a gente tem, falta de treinamento”, conclui a síndica Cristiane. 

Síndicas alegam problemas com prestação de serviço de conservadora

Em alguns casos específicos existem empecilhos no contrato que podem dificultar o encerramento das atividades da empresa no condomínio. No entanto, as síndicas ainda dizem que não é a primeira empresa terceirizada que deixa a desejar. O que faz o condomínio ter uma alta rotatividade de conservadoras e funcionários. 

Alisson Fernandes, advogado especialista na área condominial e trabalhista, conta que, para evitar ao máximo problemas como estes, é importante um trabalho anterior de pesquisa sobre a empresa.

“Antes de se contratar qualquer conservadora, qualquer mão de obra terceirizada, não somente destinados aos serviços gerais, é muito importante observar o histórico dessa empresa no mercado. Certidões negativas, existência de débitos junto a funcionários, o cumprimento das questões relacionadas a EPI, e, claro, também resguardar o condomínio em contrato”, finaliza.

Em breve, aqui no portal, traremos uma matéria especial sobre o que você precisa saber sobre a contratação de conservadoras de condomínios. Fique ligado!

Redação Condomeeting