Esta é a pergunta que a maioria dos síndicos de primeira viagem fazem ao se deparar com a oportunidade de seguir a carreira de síndico. E ela pode surgir de várias formas: desde a renúncia do síndico, uma indicação, habilidades para a função, visão de mercado e a coragem de enfrentar este desafio, como aconteceu com o síndico profissional Fernando Cordeiro, de Itajaí.

“No meu caso uma síndica moradora me encorajou à assumir o seu lugar no condomínio, pelo fato de ter acompanhado a forma que eu encarava os problemas que surgiam no dia a dia do prédio”, destacou Fernando.

Trata-se de uma decisão desafiadora principalmente quando se coloca em risco uma estrutura já estabilizada.

“Eu tinha um bom emprego, uma boa remuneração e a certeza de que aceitar esta oportunidade colocaria em risco a minha estabilidade. Porém, aceitei o desafio mesmo sabendo que não estava preparado para assumir as responsabilidades que me seriam confiadas”.

Como todo novo funcionário, leva um tempo até você se ambientar dos seus direitos e deveres enquanto síndico. Ou seja, a função de administrar um condomínio envolve muitas atividades, e neste caso os síndicos eleitos pela primeira vez podem enfrentar algumas dificuldades.

Em outras palavras, a inexperiência e a falta de conhecimento sobre as atividades do edifício são os principais problemas dos síndicos que assumem o cargo pela primeira vez. Então essa é a hora crítica em que se deve ter cautela para não cometer erros que possam prejudicar o condomínio.

“No meu caso aproveitei da experiência adquirida após anos auxiliando quase 100 síndicos, transformando em algo prazeroso que pudesse, além de me proporcionar renda, ajudar as pessoas. E foi vivenciando erros e acertos que consegui me aprimorar e em poucos meses, assumir nove condomínios”, ressaltou Fernando.

_________________________________________________________________________________________________________________

Talvez você tenha interesse:

_________________________________________________________________________________________________________________

Conhecendo a estrutura condominial

Assim como, desenvolver a arte de ser síndico, Fernando Cordeiro explica que foi aproveitando cada adversidade. Ou seja, como problemas, oposições, confrontos e até mesmo desconfianças, visando solucionar o problema.

“O condomínio tem vida e o síndico enfrenta desafios permanentes, além de responsabilidades e prazos a serem observados. Temos que nos preocupar com a estrutura da edificação e também com o bem-estar dos condôminos”, salientou.

Você é um novo síndico? Está com um pouco de medo? Não tema. “Eu costumo dizer que os melhores síndicos são aqueles que fazem do trabalho algo agradável, e não vivem pilhados tentando resolver os problemas na pressão, ou até mesmo no grito. Mas é assim que tudo acontece, você tenta, descobre o que funcionou ou não, arquiva lições, e então melhora automaticamente”, finalizou o síndico.

Então, o primeiro passo do síndico ao assumir um condomínio é conhecer a edificação e o estado em que foi entregue pela antiga administração, tanto na parte fiscal, como estrutural e trabalhista.

Enfim, elaborar e aprovar em assembleia com os moradores um planejamento orçamentário anual conhecer os fornecedores e tentar negociar os contratos, zelar pela segurança dos moradores, pesquisar preços na hora de comprar itens básicos para o condomínio, saber negociar as taxas condominiais, ter um bom relacionamento com as administradoras, moradores e aceitar sugestões, dentre outras inúmeras responsabilidades.

Fernando Cordeiro | Síndico Profissional